(11) 97334-7799
(11) 3044-2886

Tratamentos Vasculares

Informações

Data Segunda à Sexta das 08:00 às 20:00 hrs.
Profissional(is) Dra. Tais Bugs

Detalhes

Edema linfático

O inchaço dos membros inferiores pode ocorrer em diversas circunstâncias que provoquem uma sobrecarga, mesmo em circunstâncias em que a anatomia é normal. O sistema linfático é responsável pela remoção do líquido extravasado dos vasos capilares, além de macromoléculas não reabsorvidas por esses vasos, de substâncias originadas do metabolismo celular, de restos celulares e microrganismos. Esses vasos drenam para os linfonodos da região, responsáveis pela defesa contra agentes infecciosos. Lesões congênitas ou adquiridas dos vasos linfáticos e linfonodos podem levar a alteração do funcionamento desse sistema e provocar edema do membro. Em outras situações, esses vasos estão funcionando normalmente ou até cima do habitual, porém sua capacidade total de transporte não é suficiente para compensar o líquido acumulado dos vasos capilares. Sempre que houver um desequilíbrio com maior retenção de líquido que drenagem pelos vasos linfáticos, haverá surgimento de edema.

O tratamento do edema linfático, ou Linfedema, em geral é clinico e envolve medidas para reduzir o inchaço, evitar complicações e restaurar o aspecto estético do membro. Em geral, envolve equipe miltidisciplinar, que será responsável pela regressão do inchaço e pela orientação quanto aos cuidados para a manutenção tardia do resultado. Drenagem linfática manual, cuidados da pele, compressão do membro e exercícios para melhorar o mecanismo de bomba muscular são importantes e podem ser necessários por toda a vida.

Aterosclerose

É a principal causa de infarto do miocárdio, de acidente vascular cerebral e de obstrução arterial periférica. Diversos são os fatores de risco para o estreitamento da luz das artérias e o acúmulo de placas de gordura nas suas paredes. Elevação dos níveis de colesterol, tabagismo, hipertensão arterial sistêmica, idade avançada, diabetes, histórico familiar, obesidade abdominal, sedentarismo contribuem para a sua ocorrência.

 Nas pernas, pode provocar dores nas panturrilhas e, menos frequentemente nas coxas e glúteos, que se inicia após caminhar uma certa distância e que melhora ao parar de andar. Essa distância caminhada inicialmente pode ser longa ou somente em ladeira e progredir para distâncias menores e para o surgimento de úlcera ou gangrena. O tratamento inclui o controle das doenças existentes, mudanças de hábito diário e alimentar, interrupção do tabagismo e uso de medicamentos. Tratamento cirúrgico é indicado nos casos mais graves. A prevenção do aparecimento dos sintomas e o diagnóstico precoce são a melhor forma de evitar complicações futuras e perda de qualidade de vida.

Outras

Diversas outras queixas fazem parte da rotina de atendimento vascular e devem ser avaliadas e estudadas individualmente para se determinar a melhor conduta, sempre pesando os riscos e benefícios para cada caso e unindo os cuidados estéticos e funcionais.

Voltar