(11) 97334-7799
(11) 3044-2886

Hiperidrose

Informações

Data Segunda à Sexta das 08:00 às 20:00 hrs.
Profissional(is) Dra. Silvia Zimbres, Dra. Alessandra Lindmayer

Detalhes

A hiperidrose é caracterizada pela transpiração excessiva generalizada ou localizada, geralmente em palmas, plantas, face e axilas. Os sintomas geralmente começam na adolescência ou até mesmo antes. A produção de suor pode ser até 40 vezes a taxa normal. Estima-se que até 3% da população sofra desse problema, muitas vezes afetando diretamente sua vida psicossocial. Não é raro vermos pacientes que se privam do aperto de mão ou do abraço, secam as mãos com toalhas para não borrarem papéis ou se vêem obrigadas a trocar de blusa várias vezes ao dia. No verão, então, as queixas de tornam ainda mais freqüentes.

A avaliação médica é importante, pois em alguns casos a hiperidrose pode estar associada a doenças neurológicas, endócrinas, infecções ou malignidades. Contudo, na maioria dos casos o que encontramos é a hiperidrose focal idiopática primária, ou seja, localizada e de causa desconhecida.

O tratamento da hiperidrose pode ser dividido em tratamentos tópicos, orais, cirúrgicos e não cirúrgicos. Após avaliar o grau da sudorese, o especialista pode indicar qual o melhor tratamento pra cada caso. Entre os procedimentos com maior taxa de sucesso estão a cirurgia de simpatectomia do gânglio torácico, muito indicada para casos de hiperidrose que afeta várias regiões, e a aplicação de toxina botulínica, principalmente em mãos, axilas e plantas dos pés. A indicação da cirurgia deve ser feita com muita cautela, pois, como todo procedimento cirúrgico, envolve riscos, além de que 90% dos pacientes passam a apresentar transpiração compensatória em outras regiões após a cirurgia.

A aplicação de toxina botulínica normalmente é realizada a partir da adolescência, pois muitas crianças que apresentam hiperidrose melhoram espontaneamente após a infância, pelo próprio amadurecimento do sistema nervoso central.

As principais contra-indicações são pessoas que apresentam distúrbios neuromusculares (como miastenia gravis), gravidez, aleitamento e uso de medicações que afetam a transmissão neuromuscular (como por exemplo, os antibióticos aminoglicosídeos).

Antes da aplicação intradérmica da toxina é feito um “mapeamento” da sudorese da região a ser tratada com um teste simples, o amido iodo (passa-se iodo com algodão na área com hiperidrose; a seguir polvilha-se o local com amido; a reação com o suor faz com que nas áreas com suor mais intenso apareçam pontinhos roxos, delimitando a área da aplicação), que permite identificar as regiões com maior intensidade da transpiração, seja em palmas, axilas ou plantas.

Para a aplicação em axilas, é utilizado um creme anestésico no local, sendo o desconforto mínimo, muito bem tolerado, além de uma aplicação extremamente rápida em torno de 15 minutos.

Para a aplicação em palmas e plantas, além do creme anestésico, é feito também um bloqueio regional dos nervos de mãos ou pés, pois ambas as regiões são muito sensíveis e, nesses casos, a aplicação se tornaria muito dolorosa sem esse bloqueio. Como é claro, esse procedimento é delicado e deve ser realizado por um especialista com conhecimento na área. Nesse caso, o procedimento é um pouco mais demorado pela própria realização do bloqueio.

As injeções são intradérmicas, ou seja, realizadas superficialmente, na segunda camada da pele, com agulha ultrafina. Aqui na Doux Dermatologia, só utilizamos a toxina botulínica da marca mais conhecida e utilizada mundialmente (existem outras toxinas “genéricas”, mais baratas, que não são seguras nem tão efetivas, com duração bem menor). O que a toxina faz é diminuir a transmissão da acetilcolina (uma substância mediadora das transmissões nervosas) entre os neurônios, por isso diminuindo a sudorese que depende de tais células nervosas para acontecer.

As reações colaterais são mínimas, sendo as mais comuns a formação de pequenos hematomas (“roxinhos”), e, no caso das mãos, uma fraqueza temporária dos músculos intrínsecos das mãos, que não chega a afetar as atividades cotidianas simples. Por causa do bloqueio anestésico, pacientes que realizaram o procedimento em palmas ou plantas não devem voltar dirigindo o carro, sendo por isso aconselhável a presença de um acompanhante. Se o procedimento for axilar, não há problema algum em dirigir.

Após a realização do procedimento, os efeitos começam a ser notados de 48 a 72 horas, com efeito máximo em 15 dias, quando o paciente deve retornar ao consultório para realizar novo teste do amido iodo, a fim de se observar se existe alguma área onde deve ser feita alguma complementação. O resultado dura em média 6-8 meses, sendo que a transpiração quase nunca volta ser o que era originalmente. Após o tratamento não é necessário nenhum cuidado especial.

Concluindo, a aplicação da toxina botulínica para hiperidrose é claramente segura, bem tolerada e altamente eficaz. Estudos mostram que 98% dos pacientes que realizaram o procedimento afirmaram que vão recomendar este tratamento a outros e pretendem repetir quando for necessário.

A hiperidrose é uma condição comum e extremamente angustiante, sendo que 50% dos pacientes relataram sentir-se deprimidos. Tratamentos eficazes como a aplicação de toxina botulínica são capazes de melhorar drasticamente a qualidade de vida do paciente, sendo um dos procedimentos mais recompensadores tanto para o médico como para o paciente.

Voltar